21/09/2014

Para meditar

21/09/2014 Refeição medieval Leitura: Salmo 19:7-14 Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais que o mel à minha boca. — Salmo 119:103 Tempos atrás, estive numa conferência sobre a Idade Média. Em um dos seminários, preparamos diversos alimentos que eram comuns nos tempos medievais. Usamos o pilão e o socador para triturar a canela e frutas para fazer geleias. Cortamos cascas de laranja e as tostamos com mel e gengibre para produzir um petisco doce. Esmagamos amêndoas com água e outros ingredientes para criar um leite de amêndoa. E, finalmente, preparamos frangos inteiros e arroz para servir como prato principal. Ao provarmos esses pratos, apreciamos a deliciosa experiência culinária. No que diz respeito ao alimento espiritual para a nossa alma, Deus deu-nos um cardápio variado que podemos mastigar e saborear. Ao fazer isso, podemos ser plenamente satisfeitos. Os livros históricos, a poesia, a literatura de sabedoria, a profecia e outras partes da Bíblia fortalecem-nos quando estamos fracos, dando-nos sabedoria e encorajamento, e alimentam-nos para a jornada de cada dia (Salmos 19:7-14; 119:97-104; Hebreus 5:12). Como o salmista nos diz: “Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais que o mel à minha boca” (Salmo 119:103). Portanto, o que tu estás esperando? Deus colocou um banquete de alimentos espirituais deliciosos à nossa disposição e convida-nos a vir e cear. Todos nós estamos convidados! A Bíblia é o pão da vida, e ele nunca resseca.

Sem comentários:

Enviar um comentário