18/08/2017

Febe, cujo nome significa “brilhante e radiante”, vivia em Cencreia, uma vila portuária na parte oriental da cidade de Corinto, onde Paulo parou durante a sua terceira viagem missionária. Pela demonstração da bondade dela com ele, Paulo escreveu aos romanos: “Recomendo-vos a nossa irmã Febe, que está a servir à igreja de Cencreia, para que a recebais no Senhor […] e a ajudeis em tudo que de vós vier a precisar; porque tem sido protetora de muitos e de mim inclusive” (Romanos 16:1,2). Febe havia dado assistência a outras pessoas para difundir a Palavra de Deus. Todos nós somos “portadores do correio espiritual”. Temos as boas-novas que Paulo escreveu há tantos séculos. E assim como Febe, devemos ajudar a entregá-las, por meio de palavras e atos, para as pessoas ao nosso redor que necessitam da mensagem que traz vida. Servimos a Deus quando compartilhamos a Sua Palavra com outras pessoas.

Quais são os sinais do fim dos tempos?

Pergunta: Quais são os sinais do fim dos tempos? Resposta: Mateus 24:5-8 dá algumas indicações importantes para que possamos discernir a aproximação do fim dos tempos: “Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos. E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores.” Um aumento de falsos messias, um aumento de guerras e aumento em fomes, pragas, desastres naturais: estes são “sinais” do fim dos tempos. Mas mesmo nesta passagem, entretanto, estamos a ser advertidos. Não devemos deixar-nos enganar (Mateus 24:4), pois estes acontecimentos são apenas o “princípio de dores” (Mateus 24:8), e o fim dos tempos ainda está por vir (Mateus 24:6). Muitos intérpretes apontam cada terremoto, cada agitação política e cada ataque a Israel como um sinal preciso de que o fim dos tempos está rapidamente a chegar. Mesmo sendo estes eventos sinais de que o fim dos tempos se aproxima, não são necessariamente indicadores de que o fim dos tempos já chegou. O Apóstolo Paulo avisou que os últimos dias trariam um notável aumento nos falsos ensinamentos. “Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios” (I Timóteo 4:1). Os últimos dias são descritos como “tempos perigosos” por causa do aumento do caráter maligno do homem e pessoas que ativamente resistem à verdade (II Timóteo 3:1-9; II Tessalonicenses 2:3). Outros possíveis sinais incluiriam a reconstrução de um templo judaico em Jerusalém, aumentada hostilidade para com Israel e avanços para um único governo mundial. O sinal mais importante do fim dos tempos, entretanto, é a nação de Israel. Em 1948, Israel foi reconhecido como um Estado soberano pela primeira vez desde 70 d.C. Deus prometeu a Abraão que sua posteridade possuiria Canaã como uma “perpétua possessão” (Gênesis 17:8), e Ezequiel profetizou uma ressurreição física e espiritual de Israel (Ezequiel 37). Ter Israel como nação em sua própria terra é importante à luz da profecia do fim dos tempos, por causa da distinção de Israel na escatologia (Daniel 10:14; 11:41; Apocalipse 11:8). Tendo em mente estes sinais, podemos ser sábios e discernir em relação à expectativa do fim dos tempos. Não devemos, entretanto, interpretar qualquer destes eventos únicos como uma clara indicação da iminente chegada do fim dos tempos. Deus deu informações suficientes para que possamos estar preparados, mas não informação suficiente para que sejamos arrogantes.

15/08/2017

Leitura do dia

Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores. Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. Irmãos, se algum de entre vós se tem desviado da verdade, e alguém o converter, saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador salvará da morte uma alma e cobrirá uma multidão de pecados. Tiago, 5:13,14,15,16,19,20
Hoje, muitos dentre nós possuímos Bíblias, mas será que estamos a ser transformados pelas verdades lá contidas? Somos chamados a ler, ouvir e obedecer a Palavra de Deus. Assim como Josias, a Bíblia deveria levar-nos a agir prontamente para colocar a nossa vida em harmonia com os desejos de Deus. Abre a tua Bíblia em oração lê com cuidado obedece com alegria.

14/08/2017

Apesar de vivermos num mundo decaído onde enfrentamos dor e decepções, Deus pode levar-nos do desespero ao louvor, como vemos na profecia de Isaías sobre a vinda de Jesus (Isaías 61:1-3). Ele dá-nos esperança quando não a temos; ajuda-nos a perdoar quando pensamos não poder; ensina que a nossa identidade está nele e não no que fazemos. Ele dá coragem para enfrentar o futuro incerto. Ao vestirmos os trapos de cinzas, dá-nos vestes de louvor.
Que possamos estar prontos para apresentar o Salvador aos outros, aquele que oferece vida e paz a todos, A próxima pessoa que tu encontrares talvez precise conhecer a Cristo. com uma palavra oportuna ou pergunta. A amizade pode ser um presente de Deus, mas nada é tão profundo quanto os relacionamentos daqueles que compartilham a união em Cristo. Na verdade, Jesus ordenou aos Seus discípulos: “O meu mandamento é este: que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei” (João 15:12). Nele, os relacionamentos que cultivamos são tesouros que vão durar para sempre.
Obedecer as leis de Deus protege-nos do pecado e das suas consequências mortais. O salmista também escreveu: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti” (Salmo 119:11)

Febe, cujo nome significa “brilhante e radiante”, vivia em Cencreia, uma vila portuária na parte oriental da cidade de Corinto, onde Paulo p...