12/03/2014

Quando falamos mal de alguma situação ou alguém, ou falamos com raiva de alguma coisa, encontramo-nos fora ou longe da vontade de Deus.
As nossas línguas, as nossas canetas e até mesmo os nossos teclados do computador devem silenciar-se de forma mais frequente. Devemos sentir gratidão nos nossos corações pela restrição proporcionada por Deus.
Com frequência excessiva, ao falarmos, lembramos a todos da nossa fragilidade como seres humanos.
Quando quisermos surpreender os outros com a diferença que Cristo faz, pode ser que não seja necessário fazer nada além de conter a nossa língua. Os outros com certeza perceberão quando honramos a Deus com o que dizemos — ou não dizemos.
"O que guarda a boca e a língua guarda a sua alma das angústias." - Provérbios 21:23

Sem comentários:

Enviar um comentário